Elétrica

Como funciona o fusível na prática

Mardey Costa
Escrito por Mardey Costa em 27/06/2022
Junte-se a mais de 20.000 pessoas

Cadastre seu email e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Você sabe como funciona o fusível?

Neste artigo, você vai descobrir como funciona o fusível na prática e qual a diferença entre fusível e disjuntor.

Portanto, se você quer aprender mais sobre esse assunto, então continue lendo esse artigo. Nele você vai aprender sobre:

E se você gostou do que vem por aí, então não deixe de compartilhar este artigo com seus amigos nas redes sociais, para que eles possam descobrir como funciona o fusível na prática.

Mas antes de ler este artigo completo, conheça nossos 3 cursos com certificado reconhecido e descubra porque 2000 alunos tiveram resultados.

Curso de Projeto Elétrico na Prática

Curso de projeto elétrico na prática com engenheiro eletricista Anderson Campos

Acesse o botão verde abaixo e descubra finalmente como elaborar projetos elétricos da teoria a prática.

Curso de Eletricista Instalador

Curso de eletricista instalador com Ricardo Serpa

Acesse o botão verde abaixo para descobrir como se tornar ser um eletricista instalador muito bem remunerado.

Curso de Comandos Elétricos

Curso de comandos elétricos com Jair Maciel dos Santos

Acesse o botão verde abaixo para descobrir como fazer montagem e manutenção de comandos elétricos industriais e sistemas automatizados.

Escolha um dos cursos acima para saber mais e faça a sua inscrição hoje com até 50% desconto em 12x no cartão, PIX ou boleto a vista e ainda ganhe bônus exclusivos.

Como funciona o fusível

O fusível é um dispositivo de segurança usado para proteger os circuitos elétricos contra os danos que podem ser causados por uma sobrecarga de corrente elétrica.

Neste caso, um aumento rápido na intensidade da corrente elétrica que flui através de um circuito elétrico pode causar superaquecimentos, que levam a incêndios, queimaduras etc

Mas como funciona a estrutura básica de um fusível, é o que vamos explicar agora.

Estrutura básica de um fusível

Na estrutura básica de um fusível podemos destacar a estrutura abaixo, sendo:

A base que é que oferece suporte à estrutura do fusível.

Em seguida, temos o porta fusível que seria o local onde o fusível fica alocado.

Também temos o anel de proteção que serve para proteger a rosca da base, de modo a evitar o contato com o circuito.

E o fusível que é a parte substituível que contém o elo fusível em seu interior.

Neste caso, o valor de corrente que o fusível suporta geralmente vem expressa em seu corpo.

Outro detalhe importante também é o indicador que serve como indicação visual de operação do fusível.

Mas como funciona o fusível por dentro, é o que vamos explicar agora.

Como funciona o fusível por dentro

Na imagem abaixo é possível visualizar o exemplo de um fusível com o fio de chumbo ou estanho.

Como funciona o fusível

Esse fio foi feito para suportar um determinado limite de temperatura e, então, derreter, interrompendo assim o circuito da corrente elétrica.

E o derretimento do fio de chumbo presente no interior dos fusíveis ocorre devido a um fenômeno físico conhecido como efeito Joule.

Mas como vai funcionar o fusível na prática, é o que vamos explicar agora.

Como funciona o fusível na prática

Na prática, no derretimento do fio de chumbo do fusível ocorre o que chamamos de efeito Joule.

E no efeito Joule, a passagem da corrente elétrica faz com que os átomos da rede cristalina do metal fiquem mais agitados.

O efeito macroscópico dessa agitação é o aumento da temperatura do fio.

As dimensões do fio utilizado no interior do fusível afetam a resistência elétrica desse fio.

E neste caso, podemos dizer que ela é inversamente proporcional à área transversal do fio.

Ou seja, quanto mais “grosso” é o fio, menor será a sua resistência.

E por consequência disso, a passagem da corrente elétrica através desse fio dissipará menos calor.

E então o fusível suportará maiores intensidades de corrente elétrica.

Neste caso acima, estamos descrevendo de maneira resumida, o comportamento descrito pela 2ª lei de Ohm.

Mas antes de finalizar este artigo é importante destacar que muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre a aplicação correta do fusível e do disjuntor.

Diferença entre fusível e disjuntor

Tanto o fusível ou disjuntor desempenham funções similares nos circuitos elétricos.

Mas estes últimos operam de forma um pouco distinta. 

Como explicamos acima, os fusíveis são descartados após a interrupção de uma corrente elétrica.

E isso acontece porque não existe recomposição do filamento interno depois que ele se rompe.

Mas e no caso do disjuntor, como vai funcionar é o que vamos explicar agora.

Sobre o disjuntor

No caso dos disjuntores, é possível continuar operando caso não sofridos danos relacionados ao superaquecimento.

Ou seja, quando o disjuntor atua, ele pode ser rearmado para dar continuidade no funcionamento deste circuito.

Isso acontece porque no interior dos disjuntores, há uma lâmina bi-metálica.

Esse tipo de lâmina contém dois metais colados e de diferentes coeficientes de dilatação.

E quando acontece um súbito aumento de temperatura, uma das lâminas dilata mais que a outra, curvando-a e desarmando o circuito.

Agora nós precisamos entender que existem vários tipos de fusíveis, por isso vamos conhecer quais são as suas categorias, vamos conferir agora.

Mas antes de finalizar este artigo, leia a nossa recomendação abaixo.

Mais informações sobre quais os tipos de fusíveis

É importante destacar que nós já fizemos um artigo mais completo e explicando o que é fusíveis, quais são os tipos e como ele funciona ele funciona na prática.

Por isso, se você tiver interesse, então acesse o artigo acima para saber mais.