fbpx

Elétrica

Como dimensionar disjuntor geral do jeito certo

Mardey Costa
Escrito por Mardey Costa em 20/05/2019
Junte-se a mais de 20.000 pessoas

Cadastre seu email e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Você sabe como calcular disjuntor geral na prática?

Nesse artigo, você vai descobrir finalmente como dimensionar o disjuntor geral do jeito certo em uma instalação elétrica passo a passo.

Portanto, se você quer aprender mais sobre esse assunto, então continue lendo esse artigo.

Mas antes de ler este artigo completo, você precisa baixar agora o Novo Kit 9 eBooks para Eletricistas e Engenheiros, confira.

Clique no botão abaixo para conhecer todos os 9 eBooks e baixar agora.

Curso de Projeto Elétrico na Prática

Curso de projeto elétrico na prática com engenheiro eletricista Anderson Campos

Acesse o botão verde abaixo e descubra finalmente como elaborar projetos elétricos da teoria a prática.

Curso de Eletricista Instalador

Curso de eletricista instalador com Ricardo Serpa

Acesse o botão verde abaixo para descobrir como se tornar ser um eletricista instalador muito bem remunerado.

Escolha um dos cursos acima para saber mais e faça a sua inscrição hoje com até 50% desconto em 12x no cartão, PIX ou boleto a vista e ainda ganhe bônus exclusivos.

Como dimensionar o disjuntor geral na instalação elétrica

Quando falamos em disjuntor geral, estamos falando do disjuntor principal que protege os outros disjuntores parciais dos circuitos da instalação elétrica.

E sabemos que na hora de realizar o dimensionamento, é muito comum que algumas dúvidas apareçam.

Neste caso, para fazer o dimensionamento do disjuntor geral, é preciso que a instalação já tenha sido devidamente dividida em circuitos de utilização.

Neste exemplo, temos uma residência com as seguintes dimensões e os componentes citados na tabela abaixo, com tensão 127 e 220 V.

Caso você tenha dúvidas nesta tabela, acesse nosso blog e consulte o artigo completo sobre divisão de circuitos elétricos.

Com os dados em mãos, nós criamos um passo a passo para  dimensionar o disjuntor geral, vamos lá!

Como calcular a potencia total de iluminação, tomadas e tomadas de uso específico

Neste primeiro passo vamos calcular a potência total da iluminação, das tomadas de uso geral e tomadas de uso específico.

Tabela retirada do eBook que ensina como dimensionar o disjuntor geral na instalação elétrica.

Para calcular a potência total da iluminação,  fizemos a soma de todas as potência de iluminação,  e encontramos a potência aparente total de iluminação de 1080 VA.

Seguindo o mesmo passo, fizemos o somatório com todas as tomadas de uso geral, e encontramos a potência aparente total das tomadas no valor de 6900 VA.

Para as tomadas de uso específico, a potência ativa total encontrada foi de 12100 W, contabilizando o valor da potência da geladeira (não esqueça).

Agora precisamos entender a seguinte observação abaixo sobre a potência ativa total, confira.

Como calcular a potência ativa total da instalação elétrica para dimensionar o disjuntor geral.

No próximo passo é calcular a potência ativa da iluminação e das tomadas de uso geral.

Observe na tabela abaixo que temos a potência aparente da iluminação que é 1080 VA e a potência aparente das tomadas que é 6900 VA.

Como calcular a potencia ativa para dimensionar o disjuntor geral na instalação elétrica.

Para calcular a potencia ativa da iluminação e das tomadas, basta multiplicar pelo fator de potência.

O fator de potencia usado em projetos elétricos para iluminação é o valor 1, e o fator de potencia para tomadas de uso geral é 0,8.

Mas o fator de potência acima é baseado na normar NBR 5410 e pode variar conforme a norma da concessionaria local.

Agora bastar somar todas as potências ativas encontradas, assim temos que a potência ativa total da instalação, será 18700 W.

Mas é importante lembrar que em uma residência, dificilmente todas as luzes, tomadas e equipamentos serão utilizadas ao mesmo tempo.

Por isso, precisamos aplicar o fator de demanda, confira abaixo como fazer isso.

Como calcular o fator de demanda para iluminação e tomadas de uso geral

Em uma instalação industrial, comercial ou residencial os equipamentos raramente irão operar todos ao mesmo tempo.

Por isso, usamos o fator de demanda para não superdimensionar os componentes dos circuitos de distribuição.

Neste exemplo, usamos a tabela de fatores de demanda para iluminação e pontos de tomadas de uso geral, da concessionária ELEKTRO.

Como calcular o fator de demanda para dimensionar o disjuntor geral

Os fatores de demanda são encontrados nas normas de distribuição da concessionária de energia, disponíveis no site da empresa.

Sabemos que a potência ativa da iluminação é 1080 W, e somando com a potência ativa das tomadas de uso geral que é 5520 W, teremos um total de 6600 W.

Observando a tabela, vimos que a potência encontrada de 6600 W está compreendida entre 6001 a 7000, logo o fator de demanda deverá ser 0,40.

Isso significa que a potência ativa total da iluminação e tomadas de uso geral corrigidas será de 2640 W.

Como calcular o fator de demanda para tomadas de uso específico

Neste caso, o fator de demanda é calculado com base na quantidade de circuitos específicos da instalação elétrica.

Neste exemplo, usaremos a tabela de fatores de demanda para tomadas de uso específico, também disponível neste mesma norma da concessionária ELEKTRO.

Como calcular o fator de demanda das tomadas de uso específico para dimensionar o disjuntor geral

Observe que a nossa instalação possui quatro circuitos de tomadas específicas, sendo o chuveiro, torneira elétrica, geladeira e máquina de lavar.

Analisando a tabela abaixo, vimos que uma instalação de tomadas de uso específico com quatro circuitos, deve ter um fator de demanda de 0,76.

Isso significa que a potência ativa total das tomadas de uso específico corrigidas será de 9196 W.

Como calcular a potência ativa total

No passo anterior, nós fizemos a correção das potências ativas com o fator de demanda.

Agora nós iremos somar todas as potências ativas de iluminação, tomadas de uso geral e tomadas de uso
específico já corrigidas.

A soma da potência ativa de iluminação e tomadas de uso geral (2640 W) com a potência ativa das tomadas de uso específico (9196 W), encontramos a potência ativa total da instalação elétrica, sendo 11836 W.

Como calcular a potência do circuito de distribuição

Para encontrar a potência do circuito de distribuição, basta dividir a potência ativa total (11836 W), pelo fator de potência médio (0,95).

Finalizando a divisão, obtendo assim o valor da potência do circuito de distribuição, que será 12459 VA.

Uma vez obtida a potência do circuito de distribuição, já podemos calcular a corrente elétrica do circuito de distribuição para dimensionar o disjuntor geral.

Como calcular a corrente do circuito de distribuição.

Para encontrar o valor da corrente do circuito de distribuição, vamos utilizar a seguinte fórmula P = U x I.

Neste caso, temos o valor da potência de distribuição de 12459 VA, e o valor da maior tensão que temos na instalação, que é 220 V.

Substituindo os respectivos valores na fórmula, iremos encontrar a corrente do circuito de distribuição no valor de 56,6 A.

Como escolher o disjuntor geral

Nosso disjuntor geral deve ter uma corrente mínima de 56,6 A e a tensão de 220 V, mas a escolha da faixa de corrente depende da disponibilidade do fabricante.

Nesse exemplo, nós escolhemos o fabricante Schneider Electric, e consultamos o catálogo de disjuntores da linha Easy9 abaixo.

Como calcular disjuntor geral bipolar

Na tabela acima é possível consultar as faixas que estão na linha Easy9, disponibiliza para disjuntores bipolares.

Consultando a tabela, podemos definir que o disjuntor geral será de 63 A com curva C, considerando a maior curva, e o código de referência do fabricante é EZ9F33263.