Elétrica

O que é DPS e como ele funciona na prática

Mardey Costa
Escrito por Mardey Costa em 18/10/2021
Junte-se a mais de 20.000 pessoas

Cadastre seu email e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Você sabe o que é DPS na elétrica?

Nesse artigo, você vai descobrir o que é um DPS, para que ele serve, onde é usado, quais os tipos mais comuns e como ele funciona na prática.

Portanto, se você quer aprender mais sobre esse assunto, então continue lendo esse artigo.

Mas antes de ler este artigo completo, conheça nossos 3 cursos com certificado reconhecido e descubra porque 2000 alunos tiveram resultados.

Curso de Projeto Elétrico na Prática

Curso de projeto elétrico na prática com engenheiro eletricista Anderson Campos

Acesse o botão verde abaixo e descubra finalmente como elaborar projetos elétricos da teoria a prática.

Curso de Eletricista Instalador

Curso de eletricista instalador com Ricardo Serpa

Acesse o botão verde abaixo para descobrir como se tornar ser um eletricista instalador muito bem remunerado.

Curso de Comandos Elétricos

Curso de comandos elétricos com Jair Maciel dos Santos

Acesse o botão verde abaixo para descobrir como fazer montagem e manutenção de comandos elétricos industriais e sistemas automatizados.

Escolha um dos cursos acima para saber mais e faça a sua inscrição hoje com até 50% desconto em 12x no cartão, PIX ou boleto a vista e ainda ganhe bônus exclusivos.

O que é DPS

O DPS é um dispositivo de proteção contra surtos usado para proteger os componentes da instalação elétrica.

Na prática, esse tipo de surto elétrico pode ocorrer devido a uma descarga elétrica de um raio, ou piques de energia.

E também durante um blecaute geral que pode queimar os equipamentos ligados à nossa rede elétrica.

Mas então para que serve esse dispositivo na prática, é o que vamos explicara agora.

Para que serve na prática

O DPS serve para desviar a corrente elétrica de surto para o aterramento, e evitando qualquer dano ao circuito ou a instalação elétrica.

Na prática, ele é um dispositivo que consegue detectar sobretensões transitórias na rede elétrica.

Ou seja, uma corrente ou potência que traz uma taxa de variação elevada, em um curto período de tempo.

E quando essa corrente elétrica se propaga ao longo de um sistema elétrico.

Então pode gerar sérios danos aos equipamentos e também pode causar até incêndios.

Confira abaixo um exemplo prático de um DPS.

Exemplo de DPS

Na imagem abaixo é possível visualizar um exemplo de um DPS, confira.

O que é DPS

Na imagem cima é possível visualizar o modelo Front 45kA 275V de DPS Slim Classe II da fabricante CLAMPER.

Na prática, ele possui as seguintes especificações abaixo:

  • Número de polos: 1
  • Corrente nominal: 100 A
  • Tensão nominal de serviço máxima: 275V
  • Tipo de disjuntor: Miniatura – para trilhos DIN
  • É kit: Não

O CLAMPER VCL Slim Classe II é adequado para instalação entre Linha e Neutro, Linha e PE ou Neutro e PE, em quadros secundários de distribuição de circuitos ou de comando.

E este tipo de dispositivo de proteção está disponível no Mercado Livre por cerca de R$ 50,00.

Mas onde deve ser usado este dispositivo de proteção, é o que vamos descobrir agora.

Onde usar o DPS

O DPS é usado para prolongar a vida útil de todos os equipamentos eletroeletrônicos e eletrodomésticos que estejam conectados à rede elétrica.

Neste caso, a norma NBR 5410 para instalações elétricas de baixa tensão, recomenda o uso desse dispositivo para proteger as instalações elétricas.

Por isso, ele deve ser usado principalmente em residências, sejam elas casas ou apartamentos.

Mas onde instalar o DPS na prática, é o que vamos entender agora.

Onde instalar na prática.

Segundo a norma NBR 5410, é possível colocar o DPS antes ou depois do disjuntor geral na instalação elétrica.

Caso o DPS seja instalado antes do disjuntor geral, ele pode garantir a continuidade do serviço.

Ou seja, neste caso, mesmo com a falha do primeiro, o segundo continua a funcionar.

Mas também é possível instalar o DPS depois do disjuntor geral, de forma que, nessa posição, a falha do primeiro desative o segundo e ocasione a interrupção da alimentação do circuito.

Neste caso, ele ficará desligado até o dispositivo de proteção contra surtos ser substituído corretamente.

E cada posicionamento sendo antes ou depois terá seus pontos positivos e negativo.

Por isso, a dica é nunca deixar de instalar esse dispositivo de proteção na instalação elétrica

Mas é importante destacar que existem vários tipos de classes de DPS, confira abaixo.

Tipos de classes de DPS

Para escolher o DPS correto para cada tipo de instalação, nós precisamos entender que existem 3 tipos de classes de DPS.

Por isso, vamos explicar agora os tipos de classes de dispositivos de proteção contra surto, que são a classe I, classe II e classe III e quais são as suas aplicações.

DPS classe I

O DPS classe 1 é responsável pela proteção contra as descargas atmosféricas que ocorrem diretamente na edificação.

Também na rede de distribuição da concessionária ou no próprio aterramento da sua instalação.

Esse tipo de DPS classe 1 é bem robusto e tem capacidade para drenagem de correntes elétricas parciais de um raio.

O DPS classe 1 é recomendado para áreas urbanas periféricas e rurais, que ficam expostas a descargas atmosféricas diretas.

Depois de explicar sobre o tipo de DPS de classe 1, agora vamos explicar o que é o DPS de classe 2, confira.

DPS classe 2

O DPS Classe 2 é recomendado para quadros de distribuição.

Neste caso, ele protege os circuitos elétricos contidos nesse quadro contra sobre tensões residuais do DPS classe I.

Ele também protege contra tensões induzidas na própria instalação, que podem ter sido causadas por alguma elétrica atmosférica remota.

Na prática, o DPS classe 2 é o mais utilizado em residências e pequenos imóveis comerciais.

E ele trabalha como um complemento aos modelos classe 1, ou ainda na prevenção contra sobretensões de manobra.

Depois de explicar sobre o tipo de DPS de classe 2, agora vamos explicar o que é o DPS de classe 3, confira.

DPS classe 3

O DPS classe 3 é responsável pela proteção de equipamentos eletrônicos contra sobre tensões que são originadas de dentro da própria instalação.

Neste caso, está relacionado aos tipos de tensões que tem sua origem ao se acionar um motor por exemplo, acionamento de algum disjuntor ou qualquer outro tipo de comutação.

Na prática, o DPS classe 3 é usado em níveis internos de proteção.

Sendo instalados próximos aos equipamentos para garantir uma proteção maior.

E também instalados como uma proteção complementar.

Mas depois de explicar sobre os tipos de DPS, vamos entender agora como ele funciona na prática.

Como funciona o DPS

Para entender o seu funcionamento é muito simples, quanto maior a tensão aplicada sobre seus terminais menor a resistência elétrica.

Ou seja, o DPS em condições normais de operação, se comporta como um circuito aberto devido ao alto valor de sua resistência.

Mas quando ele é submetido a um surto de alta tensão, a condutância do material aumenta muito, tornando-se quase um curto-circuito.

E o componente elétrico interno do DPS que desempenha esse trabalho fundamental de funcionamento de proteção é o varistor.

Varistor do DPS

O varistor é um resistor elétrico que depende da tensão para mudar o valor de sua resistência.

No varistor, quanto maior a tensão menor a oposição à passagem da corrente elétrica, e quanto menor o valor da tensão maior será a resistência.

Importante destacar que o funcionamento no DPS, o surto elétrico é desviado muito rápido e o disjuntor nem se quer é acionado.

Isso acontece porque não houve tempo suficiente para identificar a fuga pelo sistema de aterramento, e por isso o DPS só funciona com a fase conectada de um terminal e o terra conectado no outro terminal.

Mas qual o tempo de vida útil desse dispositivo de segurança, é o que vamos descobrir agora.

Vida útil

É muito importante destacar que com o tempo de uso dele varia conforme o número de vezes que ele precisa atuar, a resistência tende a ser reduzida de forma irreversível.

Dessa forma, no final da vida útil o varistor se torna um curto circuito e não pode continuar conectado ao sistema devido ao risco deste poder causar um princípio de incêndio.

Por fim, existe um contato preso por solda e tensionado por uma mola, que é interrompido, quando a solda é desfeita pelo excesso de calor gerado pela corrente de curto circuito.

Mas antes de finalizar este artigo que explica o que é DPS na prática, leia as nossas recomendações abaixo.

Mais informações sobre DPS

No artigo acima nós explicamos o que é DPS, para que ele serve, quais os tipos e como ele funicona.

Mas é importante lembrar que nós já fizemos um artigo completo explicando também sobre os disjuntores.

Por isso, se você tiver interesse, então acesse o artigo acima para saber mais.